1.8.11

Cometa

Não foi o brilho das estrelas, que posso ver todas as noites
Pela a janela de meu quarto
E nem mesmo o calor intenso do sol,
Que sinto pela manha em minha pele.
O que marcou a minha jornada,
Esta mais para um fenômeno raro e especial um
Cometa, que passou tão rápido em minha vida, semelhante a você,
Ambos deixaram suas marcas e seu rastro brilhante, por onde passaram.
Alguns esperam muitos anos,
Outros uma vida inteira e nem mesmo assim consegue ver,
 Cometas como eu pude ver, você passar.
Até mesmo de longe, quem viu esse cometa,
Não vai esquecer, posso ter certeza disso, imagine eu,
Que tive a sorte de poder conter um em minhas próprias mãos.
Sua luz tênue que marcou o céu permanece viva em minha retina,
E talvez você tenha sido o meu sinal
Guiando-me durante as escuras noites,
E me livrando das tempestades
Mostrando-me que a minha historia ainda não chegou no final.
Você estará sempre comigo,
Não importa aonde eu vá, estarás sempre comigo.
Não consigo nem imaginar, como seria a minha vida,
 Sem ter visto você, um lindo cometa, acima das nuvens,
 Voando livremente para a imensidão do espaço.
Às vezes fico acordado a noite inteira,
Esperando você voltar, por entre as estrelas bailando pelo ar
Para me fazer sorrir por mais uma vez.
Um cometa perdido pelo ar
Venha rápido se quiser, venha cedo se puder
Só não se esqueça de voltar, para me amar.

3 comentários:

  1. Lucaaaas, você é um verdadeiro poeta! :D
    Eu adorei sua poesia, meus parabéns pelo verdadeiro dom da escrita!

    Você vai longe! ;)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, este deixou rastro por onde passou...
    :D

    ResponderExcluir